Alexandre Moreira Colunista

A direita é nazista, racista e fascista?

Charlottesville
Charlottesville

Por Alexandre Moreira

 

O episodio ocorrido na cidade de Charlottesville, no Estado americano da Virgínia, foi o estopim para que a mídia voltasse a disseminar a antiga falácia de que a direita está diretamente ligada ao nazismo, fascismo e racismo. De forma absurda, alguns “especialistas” chegaram até mesmo a insinuar que Donald Trump é o principal responsável pela ascensão dos grupos violentos e desumanos. É verdade que os movimentos defensores do neonazismo e da supremacia branca estão crescendo nos EUA, porém, não podemos cair no jogo sujo elaborado pela esquerda e por todos os órgãos midiáticos engajados na propagação da agenda globalista.

A esquerda e a grande mídia globalista afirmam que o nazismo é uma corrente ideológica ligada à direita, porém, essa afirmativa é uma das maiores distorções históricas já disseminadas. Os próprios idealizadores do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães diziam que as bases de sustentação da ideologia defendida por eles eram o fascismo e o socialismo. Hitler, que é a principal figura histórica nazista, disse que a sua essência era marxista e, assim sendo, proferiu as seguintes frases: “Não sou apenas o vencedor do marxismo, sou o seu realizador”; “Aprendi muito com o marxismo e não pretendo esconde-lo”.

Para chegar ao poder, Hitler precisou se posicionar contra o comunismo e contra a socialdemocracia. Nos anos 20 e 30, ele fez aliança com os conservadores e com a direita tradicional da Alemanha como forma de alcançar seu objetivo, entretanto, ao pisar os pés no poder, ele perseguiu, prendeu e matou importantes figuras da direita alemã. Com isso, Hitler deixou claro qual era de fato o seu lado.

Ao fazermos uma breve comparação entre as pautas defendidas pelos nazistas e pela esquerda, logo constatamos a imensa semelhança. Ambas as ideologias pregam o ódio a Israel, abominam o cristianismo, defendem um estado grande, são anticapitalistas, apoiam o aborto, eutanásia, lutam pelo desarmamento civil, são relativistas e usam dos meios educacionais para doutrinar os jovens.

Outro ponto importante que devemos desconstruir é a questão do racismo ser uma característica estreita a direita. Levando para uma perspectiva histórica, é fundamental salientar que o grupo racista Ku Klux Klan foi criado pelo general Nathan Bedford, um homem diretamente ligado ao Partido Democrata norte-americano. A criação do movimento se deu após o fim da Guerra Civil dos EUA, quando os fazendeiros escravocratas do Sul, que eram filiados ao Partido Democrata (esquerda), lutaram e perderam para os conservadores republicanos do Norte (direita), capitaneados pelo abolicionista Abraham Lincoln.

A esquerda trabalha com um plano de engenharia social, se empenhando diuturnamente em desenvolver mudanças radicais nos padrões comportamentais, culturais e históricos da sociedade. Com isso, acabam adquirindo espaços, fazendo com que a lógica e os valores existentes se dissolvam. Dessa forma, a esquerda impõe suas posições como sendo verdades absolutas e incontestáveis. É por isso que o senso comum tem certeza que o nazismo e o racismo são características da direita. A imposição acaba fazendo nascer a desinformação, mas agora felizmente estão surgindo pessoas empenhadas e comprometidas com a verdade.

 

Alexandre Moreira é colunista do Blog Vale sem Fronteiras e Vice Diretor da ACONS – Associação Nacional dos Conservadores na Bahia

Comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *